Mulher casada

TPL_IN

Será que todo mundo acha que a vida de uma mulher casada é muito sem graça? Depois que temos um parceiro estável as pessoas começam a achar que a nossa vida se torna uma rotina entediante?

Tudo o que eu vejo agora são publicações, filmes, seriados, novelas, crônicas e livros que tratam da solteirice das mulheres. Depois de Sex and the City o mundo nunca mais foi o mesmo. Parece que só se divertem as mulheres que estão livres e desimpedidas aos trinta anos. Só vejo colocações assim: “essa é a Carrie Bradshaw brasileira”. Ou ainda: “aquela é a Carrie Bradshaw chilena”. Ai, que saco! E depois que a Carrie Bradshaw de Nova York juntou os trapinhos de marca, acabou a saga das quatro personagens tão famosas.

Eu acho muito divertido ler e assistir mulheres que estão lutando pela conquista do grande amor e de um príncipe encantado que, se não chega mais em um cavalo branco, deve vir em um carro zero com câmbio automático e ar-condicionado. Mas, se todo mundo (ou quase todo mundo) quer achar alguém para ser a tampa da panela, por que ninguém quer saber daquelas que já conseguiram?

Não somos obrigadas a ter uma vidinha mais ou menos depois de juntar as escovas de dentes. Podemos ter uma vida repleta de emoção e alegrias. Já que as tentativas de engatar um namoro não fazem mais parte do nosso dia a dia, as expectativas em relação à maternidade ou ainda à busca da felicidade com o parceiro são coisas muito divertidas e que podem, sim, fazer sucesso.

Volta e meia eu me sinto uma ET por ser casada e gostar disso. Não quero ficar me queixando que sinto saudades dos tempos de solteira e que queria voltar a frequentar baladas. Muito pelo contrário. Eu já não gostava das noitadas nem quando eu estava na pista para negócio. Gosto muito da minha vidinha de casada, de assistir ao Jornal Nacional com os pés no colo do meu marido e de me preocupar com a alimentação do meu filho. Estou errada por isso?

Sei que vão me acusar de ser machista, mas não é isso. Acho que tudo tem o seu valor. Ser casada pode ser tão divertido quanto ser solteira e vice-versa. O importante é que estejamos felizes. Temos que lutar para alcançar os nossos objetivos, independente de qualquer coisa. E o meu sempre foi ser feliz. Solteira ou casada.

Gosto de escrever e de ler sobre mulheres de 30 anos que têm filhos e marido, porque é essa a minha realidade. Que bom que as solteiras já conseguiram o seu espaço, e fico muito orgulhosa delas. Mas, deixem um pouquinho de espaço para nós também, por favor!

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar